Alfredo Cospito e sua luta contra o regime 41 Bis

Sobre a greve de fome do companheiro Alfredo Cospito e sua luta contra o regime 41 Bis

No dia 25 de outubro o companheiro anarquista Alfredo Cospito dá início a uma greve de fome, com o fim de conseguir sua retirada do infame regime carcerário de isolamento extremo 41 Bis. Alguns dias depois se soma à greve de fome o companheiro anarquista Juan Sorroche, condenado em julho a 28 anos de prisão, por um ataque explosivo ao partido fascista a Liga.

Quem é Alfredo Cospito??

Companheiro com uma longa trajetória em diferentes âmbitos de expressões anárquicas no território dominado pelo estado italiano, detido em setembro do ano de 2012 junto a outro companheiro, pelo tiro ao joelho (gambizarre na gíria revolucionária italiana), do conselheiro delegado de Ansaldo Nucleare, Roberto Adinolfi, realizado no dia 7 de maio de esse mesmo ano, na cidade de Gênova. A ação reivindicada pelo Núcleo Olga FAI/FRI, tinha sido uma clara resposta ao, então recente, desastre nuclear de Fukushima, atacando diretamente a um dos responsáveis de esta indústria de morte e devastação, naquele território.

 O companheiro desde um primeiro momento manteve uma postura ativa e combativa dentro da prisão, jamais baixando sua cabeça diante da lei, suas/seus policiais e carcereirxs. Finalmente depois de aceitar um julgamento abreviado e assumir sua responsabilidade, com um comunicado lido frente a corte em um ato de rebeldia e dignidade, Alfredo é condenado a 10 anos e 8 meses por este feito, sob o artigo 280 bis, de atentado terrorista.

Em setembro de 2016 varixs anarquistas são presxs na operação repressiva batizada de Scripta Manent, que investigava distintas ações da Federação Anarquista Informal na Itália, desde a primeira década do século XXI. Entre estas se acusa a Alfredo, junto à companheira Anna Beniamino, também presa, a colocação de dois artefatos explosivos na escola de Carabinieri (a PM italiana) de Fossano, reivindicada pela FAI/Revolta Anônima e Tremenda. Ambxs companheiros foram condenadxs no recente 9 de julho deste ano (2022), do crime de “massacre política” e arriscam uma pena de prisão perpétua.

Em novembro de 2021, vários registros e batidas são realizados dentro da investigação batizada de Operação Sibilla, que termina com um companheiro em prisão domiciliária e com uma nova ordem de prisão contra Alfredo, que é a que finalmente o envia ao regime 41 Bis, no dia 5 de maio deste ano. As acusações contra xs companheiros nesta investigação eram de ter constituído uma associação ilícita com fins de terrorismo (270 bis c.p.) e de instigação a infringir a lei (414 c.p.), tudo relacionado à redação, publicação e distribuição do jornal anarquista Vetriolo, especialmente com a entrevista  feita a Alfredo, “Que Internacional?”, publicada em 3 partes em dito jornal.

O 41 Bis.

O 41 Bis é um artigo do código penal italiano, surgido no final da década de 80 do século passado, que implementa um rigoroso regime de isolamento carcerário, aplicado inicialmente em casos excepcionais de revoltas ou de emergencias graves. Em 1992, depois do massacre de Capaci, esse regime passa a ser aplicado a integrantes da máfia, que neste momento era considerada a maior ameaça ao estado italiano. Em 2003 este regime é aplicado a 4 revolucionárixs militantes da organização BR-PCC, as chamadas Novas Brigadas Vermelhas. Uma destas revolucionárias, Diana Blefaria Melazzi, se suicida na prisão no ano de 2009, outrxs seguem presxs, ainda sob o mesmo regime.

As medidas carcerárias impostas pelo 41 Bis são a censura permanente do correio postal, isolamento total inclusive do resto do módulo, a limitação na quantidade de livros e talvez o elemento mais infame, que a única forma onde se permite deixá-lo é que a/o presx decida cortar “voluntariamente” com a “organização”que faz parte, buscando assim uma chantagem que visa a submissão, o arrependimento e a quebra.

É importante mencionar que para que fosse aplicado esse regime a Cospito, o transferiram a uma prisão na ilha de Serdegna, somando ao isolamento, a dispersão que busca distanciar ao companheiro de seus entornos solidários mais próximos.

Uma nova etapa da repressão as/aos anarquistas na Itália.

No passado mês de julho, Anna e Alfredo são condenados sob a figura jurídica de massacre política, pelo ataque a escola de Carabinieri, sua pena muito provavelmente será a prisão perpétua, poucos dias depois o companheiro Juan Sorroche, inicialmente acusado sob a mesma figura jurídica, sendo posteriormente desestimada é condenado pelo ataque ao partido fascista a Liga, e sentenciado a 28 anos de prisão. Ambas configuram as mais altas penas aplicadas contra anarquistas naquele território nos últimos decênios, algo sem precedentes na história recente. Isso juntamente com o fato que é a primeira vez que se aplica o 41 Bis a um anarquista, busca dar uma clara mensagem do poder, que às/aos rebeldes e revolucionárixs que busquem ir mais além das palavras, se castigará com mão de ferro, sepultando-lhes em vida.

A greve de fome dos companheiros busca romper as barreiras do isolamento, colocando seus corpos como trincheiras e voando fora dos muros com um sopro à urgência de atuar e agitar, para com luta e pressão conseguir tirar o companheiro desse regime brutal.

Tiremos a Alfredo Cospito do 41 Bis!!!

Solidariedade com xs companheiros em greve de fome!!!

Isolamento é tortura!!!!

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não pare por aqui

Leia mais

bolo’bolo

p.m. Transcription of a video by O. Ressler,recorded in Zurich, Switzerland, 24 min., 2004 A idéia original de criar esta

Manifesto dos Makhnovists

Este movimento foi a manifestação da Revolução Russa de 1917 na Ucrânia, onde tomou uma forma libertária e onde os

WhatsApp chat

O Clube fica fechado este mês, devido aos envios da "Caixa Bomba" Deixe seu contato que avisamos assim que reabrir :)